Categorias

Além da Maquilagem

    1 Em Além da Maquilagem

    TODO MUNDO DEVERIA FAZER AULAS DE POLE DANCE

    poledance

    Se você preferir pode dar play no áudio e escutar o conteúdo.

    Você deve ter visto o título desse post e pensado: “Jamais, muita vulgaridade!” ou “Eu não tenho condições de fazer isso, porque eu não tenho força, não tenho flexibilidade.” 

    Mas, é aí que tá o negócio, por isso eu resolvi fazer este post, porque eu pensava que eu jamais conseguiria fazer qualquer coisa em uma aula de Pole Dance.

    Bom, quem me apresentou este universo paralelo maravilhoso, foi uma prima minha chamada Carol, ela já fazia aulas de pole e assim que eu me mudei para São Paulo, ela comentou comigo: “Prima, você precisa fazer uma aula experimental e eu vou te levar lá no estúdio de pole!”

    E eu fui, e sendo muito sincera, fui sem muitas esperanças, porque a minha ideia de pole dance era que eu jamais iria conseguir subir na barra, muito menos fazer todos os movimentos que eu já tinha visto uma dançarina fazer. 

     Eu marquei uma aula experimental e fui até o estúdio encontrar com a minha prima, chegando lá, parecia que eu tinha entrado em outro universo, é assim surreal, porque tá todo mundo vestido basicamente de “biquíni”, algumas com sapatos super altos, outras com roupas belíssimas e sensual, e algumas basicamente de lingerie, porque sim, a gente tem que dançar com roupas mais curtas, pois é o atrito da pele com a barra que faz com que a gente fixe e não escorregue. 

    Eu lembro que ao entrar no estúdio, a primeira coisa que eu pensei foi: “Acho que eu vim muito vestida para aula, rs!”. Cheguei até a comentar isso com algumas meninas que estavam na sala de espera.

    E sabe o mais legal, é que enquanto eu estava ali , esperando a minha aula começar, eu via todo mundo conversando, falando sobre dança e não tinha ninguém reparando ou comentando sobre o corpo de alguma pessoa. Todo mundo estava ali com um único objetivo: dançar!

    Minha aula começou e a primeira coisa que a professora fez, foi fazer um círculo de apresentação, junto comigo tinha mais cinco mulheres, todas estavam muito tímidas, não queriam falar muito. Depois das apresentações, a professora, colocou uma música bem maravilhosa e foi ensinando alguns movimentos do Pole Dance, movimentos mais fáceis, para iniciantes, o mais legal é que durante toda aula, todas as outras pessoas que estavam ali na sala, estavam focadas em aprender, então em nenhum momento eu me senti “sendo analisada”, sendo julgada por não estar fazendo as coisas corretamente. Estava todo mundo tão focado, olhando no espelho, tentando fazer os movimentos, e quando uma pessoa conseguia fazer, a turma inteira vibrava. Sem contar que a coreografia, que a professora passou, foi mais sensual. E amiga, eu me senti tão poderosa, eu saí da aula com uma energia surreal!

    Desde este dia, isso foi em 2019, eu nunca mais parei. Claro, teve um momento que eu me afastei do Pole Dance, por causa da pandemia, o estúdio que eu fazia as aulas fechou, mas assim que eu me mudei para Maringá, e as academias e estúdio de danças, foram liberados para abrir, eu já me inscrevi no estúdio de pole e voltei a dançar.

    O que mais me encantou no pole dance, foi que, primeiro: todo mundo que tá ali, fazendo a aula, está tão focado em aprender o movimento, em aprender a técnica, que ninguém está prestando atenção em você, só a professora, então, se você errar, se você não souber fazer, tiver dificuldade, fique tranquila, que não terá ninguém julgando, pois o negócio é você com o espelho. Fazer pole dance é uma aula de autoconhecimento, pois você passa o tempo todo focada em você, olhando para você.

    Outra coisa que eu gosto muito, é que como todo mundo tá ali aprendendo, e alguns movimentos são mais intensos e difíceis do que outros, tá todo mundo ali tão focado, que quando um consegue executar perfeitamente o movimento que a professora passou, a turma inteira comemora. Em todos os estúdios de pole dance que eu já fiz aula, sempre foi assim, a hora que um aluno conseguia executar o movimento e a professora falava,  “Parabéns, está perfeito” a turma toda começava a bater palma e ficava feliz por aquela aluna.

    Outro ponto que faz eu gostar tanto de fazer aulas de pole dance, é que eu descobri que eu sou muito mais forte do que eu imaginava. Na primeira aula que eu fiz de pole dance na minha vida, eu pensei que nunca iria conseguir subir na barra, pensava que não tinha força para isso, mas na verdade eu tenho. A primeira vez que eu consegui subir até o teto da barra, eu fiquei tão feliz, mas tão feliz, porque foi uma superação para mim, eu consegui!

    E a primeira vez que eu consegui fazer uma pose no meio da barra e soltando as mãos? Foi surreal! Eu lembro que eu fiz a pose, tirei foto é claro, e na hora que eu terminei, desci da barra, eu fiquei tão feliz, tão contente, porque eu consegui subir, eu consegui ficar parada, foi um momento que eu olhei para o meu corpo e pensei: “Caraca você é muito foda, olha o que você consegue fazer!”.

    Você deve estar pensando: “mesmo assim não é para mim isso de fazer aula quase de biquíni”, na real, nas primeiras aulas a gente costuma ir com um shortinhos e blusa, tem uma dificuldade maior em travar na barra, pois o tecido faz a gente escorregar e naturalmente no começo, a gente começa com os looks mais “recatada” (rs), mas com o tempo você pega tanta confiança… que eu não dou uma semana para começar a usar roupinhas mais curtas e se sentir livre para realizar os movimento.

    E aqui entra outro ponto muito legal do Pole Dance, eu me sinto uma mulher extremamente sexy nas aulas, eu descobri uma sensualidade dentro de mim, que nem eu sabia que existia. A gente sempre tem um costume de falar que não conseguimos realizar as coisas, que não somos tão incríveis e maravilhosas assim, mas na verdade você é, e você consegue. 

    Durante as aulas, as professoras vão colocando músicas e você vai entrando no ritmo, vai sentindo o som, os movimentos e como não tem ninguém analisando, tá todo mundo focado em si mesmo, que você se liberta e solta a mulher poderosa e sensual que existe dentro de você.

    Por isso eu falo que todo mundo deveria fazer aula de pole dance, porque é o momento você com você. É você se encarando por uma hora.

    Você vai descobrir as coisas que seu corpo é capaz, vai ver que você é muito mais forte do que você imagina, vai descobrir uma flexibilidade que talvez você nunca tivesse explorado, vai se ver como uma pessoa mais sensual, e o mais legal, o que faz com que eu, Naiady, goste tanto do Pole dance, é que toda vez que eu consigo realizar um movimento novo, eu me sinto muito forte e muito confiante, porque eu penso: “Caraca olha o que meu corpo conseguiu fazer. Olha o que eu consegui fazer”. É como se toda aula fosse uma superação, toda aula eu me superasse.

    Eu preciso falar aqui uma coisa muito importante, quando a gente fala de pole dance, normalmente as pessoas pensam, que tem que ser uma pessoa sarada e super magra para fazer as aulas, e não. 

    Teve uma frase que uma professora de dança me disse e eu nunca esqueci: TODO CORPO DANÇA, TODO CORPO SE MOVIMENTO! E quando você entra no estúdio de pole dance percebe que tem pessoas de todos os tipos e jeitos. Então bora extrapolar, bora descobrir do que seu corpo é capaz de fazer.

    Uma coisa que eu acho muito interessante de comentar, é que às vezes você não gosta desse lado mais sensual da dança e tá tudo bem, pois uma coisa que poucas pessoas sabem, na verdade as pessoas que não vivem no meio do Pole Dance, é que existem diferentes tipos de modalidade de dança dentro do Pole.

    Existe a versão mais sensual estilo strip-tease, a versão mais contemporânea, a versão só de flexibilidade, onde você vai explorar toda a flexibilidade do seu corpo e utilizar isso para fazer os movimentos na barra, tem uma versão do Pole que se usa muito o chão para dançar e somente alguns movimentos na barra. Então, se você não quer toda essa sensualidade, fique tranquila, pois tem várias modalidades para você explorar e descobrir o que mais lhe agrada.

    Eu tinha que vir aqui contar isso para você, porque desde quando eu comecei a fazer pole dance, a minha relação comigo mesmo mudou bastante, melhorei muita coisa e cada aula que passa eu melhoro um pouquinho mais, porque eu vou descobrindo do que eu sou capaz de fazer.

    E eu sei que muita gente tem pré-conceito sobre essa modalidade de dança, talvez por não conhecer, talvez por só ouvir julgamentos ou não gostar das fotos que vêm nas redes sociais, mas o pole dance vai muito além do que só uma dança para mostrar o corpo. Sim eu já ouvi essa frase: “faz só pra se mostrar”… Também, mas é muito mais do que isso!

    Então quero fazer um convite, se você tem interesse em fazer uma dança, se você tem o interesse de descobrir mais sobre você, sobre a capacidade do seu corpo, tenta fazer uma aula experimental de pole dance, tenta entender um pouco mais sobre a dança e quem sabe assim, você se apaixone assim como eu me apaixonei.

    Lá no meu Instagram eu compartilho um pouquinho das coreografias que aprendo nas aulas. Eu estou longe de ser profissional, sou apenas uma aluna apaixonada por se movimentar. Obrigada por ler até aqui, um beijo com carinho, Naiady Souza.

  • Saúde7
    Em Além da Maquilagem

    MUDANÇA DE HÁBITO

    Caso não queira ler é só da o play no áudio abaixo. 🙂

    Você deve ter visto o título deste post e deve ter pensado: “Será que ela está falando daquele filme antigo?”, e  se você não sabe de qual filme eu estou falando, minha amiga, é sinal que eu estou ficando velha e sinal que você precisa de uma sessão de filmes.

    Mas calma, para te ajudar eu vou deixar a capa do filme aqui embaixo, depois você vai lá assistir. 

    saude1

    O título tem tudo a ver com assunto de hoje, mudança de hábito, se você me segue lá no Instagram, já deve tá ligado que eu mudei completamente meu estilo de vida e olha não foi porque eu quis. A mudança aconteceu porque minha saúde pediu socorro, me deu um puxão de orelha.

    Nesse post eu vou te contar tudo sobre essa mudança, o que aconteceu, o que me levou a fazer isso e também como eu tenho levado tantas mudanças de uma hora pra outra.

    Eu sempre tentei levar uma vida saudável, mas confesso que não era lá aquelas coisas, sabe? Eu comi uma salada, um franguinho grelhado, mas não resistia a um bom doce, uma boa sobremesa e principalmente a uma boa massa. Eu amo pizza, macarrão, lasanha, e antes eu comia basicamente esses itens, pelo menos umas três vezes na semana.

    E para mim estava tudo ótimo, tudo tranquilo, afinal eu sempre consegui manter meu peso. Eu sempre tive meus exames ok, e nunca tinha pesado mais do que o considerável saudável para meu tamanho e tipo físico.

    Ah, só para deixar claro, esse post não vai ser sobre o meu peso e tudo que eu perdi nessa mudança, eu quero que o foco dele seja realmente essa “virada de chave” e o que me levou até ela, porque pode ser que você precise dessa mudança também.

    Outro fato que fazia eu levar minha vida tranquilamente do jeito que estava levando, é que eu sempre fui muito ativa, desde pequena eu pratico esporte, e até durante a pandemia eu tentei seguir praticando alguma atividade física, então eu sempre pensava: “Ah, eu tô fazendo exercício aqui, então eu tenho a liberdade de comer tudo o que eu quero, afinal, eu mereço!” , acabava que eu não comia nada nutritivo para o meu corpo.

    Saúde4
    Eu na academia ano passado 🙂

    E aí chegou a pandemia né minha gente, mudou muita coisa na minha vida viu? E eu acho que mudou na vida de outras pessoas também. Durante a pandemia eu acabei deixando de lado a atividade física, eu parei de consumir qualquer coisa saudável. Na verdade, eu estava trabalhando tanto, que acabava esquecendo da minha saúde. Eu não fazia o meu almoço, a minha janta, eu acabava cedendo aos aplicativos de comida, ficava tão cansada à noite que tudo que eu queria era deitar na cama, tomar uma cervejinha ou um vinho e dormir, eu nem pensava em atividade física.

    E aos poucos a minha rotina se tornou, levantar cedo, tomar café, trabalhar, pedir marmita, almoçar, trabalhar até as 22h30 pedir comida novamente ou comer o que sobrou da marmita, tomar banho e dormir.

    Eu não sei se você sabe, mas eu trabalho 90% do tempo na frente do computador, ou seja, 90% do meu tempo fico sentada. Parando de fazer atividade física e tendo uma alimentação totalmente não nutritiva, eu estava o próprio sedentarismo em pessoa. 

     

    Saúde3

    Só que, minha gente, o corpo fala, e eu comecei a me sentir muito cansada, comecei a me sentir pesada e quando eu falo pesada, quero dizer que eu não tinha fôlego, não tinha força para subir uma ladeira por exemplo, parecia que não estava aguentando meu próprio corpo. 

    Eu voltei a fazer pole dance e eu comecei a sentir muita dor para fazer qualquer movimento, eu ia caminhar sentia dor no meu joelho, e o principal, o fato que acendeu uma luzinha amarela em mim, foi a queda do meu cabelo. 

    Meu cabelo começou a cair muito, mas quando eu falo muito, é muito mesmo, durante o banho saia tufos e tufos de cabelo, fora o que cai ao longo do dia e ficava no chão da minha casa.

    Juntando a queda do cabelo, a falta de disposição e as dores no joelho, eu resolvi fazer um check-up.  

    Todo ano eu gosto de fazer exames para saber como está a minha saúde, mas em 2020, por conta da pandemia, eu fiquei com certo receio de ir até os médicos fazer os exames e acabei deixando passar, mas em 2021 por conta de todos esses sintomas que eu estava sentindo eu resolvi fazer o check-up.

    Aqui em Maringá alguns médicos estavam atendendo normalmente, claro com horário marcado e com todos os protocolos de segurança sendo seguido, então no começo do ano eu consegui agendar ginecologista, endocrinologista, dermatologista, nutricionista e um personal para fazer uma avaliação.

    A minha primeira consulta foi com a endocrinologista, sai da clínica com vários pedidos de exames, que fiz na mesma semana da consulta, pois ia aproveitar esses exames para mostrar para os outros médicos.

    saude

    O resultado do exame de sangue chegou e não tinha nada nele que estava normal. Meu exame estava todo alterado, e quando eu vi isso, eu fiquei muito decepcionada comigo, eu me perguntava: “como é que eu deixei minha saúde chegar nesse ponto?”, “como é que eu fiz isso comigo?”, e a decepção foi tão grande, que na hora  eu comecei a chorar,  porque eu tinha plena consciência que o culpado disso tudo era eu…eu não me cuidei, eu negligenciei a minha saúde.

    Eu lembro certinho o dia que eu peguei o resultado desse exame, foi no dia 3 de abril de 2021, e depois de ler todo o exame foi como se uma luz tivesse ascendido na minha cabeça e uma chave tivesse virado.

    Eu encaminhei o exame para a minha nutricionista, conversei muito com ela, falei que eu estava super decepcionada comigo e que eu não queria mais me descuidar tanto, não queria acabar com minha saúde. A nutricionista me aconselhou bastante e já foi montando meu plano alimentar.

    Levei meus exames para  endocrinologista e lá ela me explicou o que estava acontecendo comigo, e bom, nada estava bom, mas eu ainda tinha oportunidade de reverter esses resultados, porque sim, estavam alterados, mas da forma que estavam eu ainda  consegui reverter, não tinha chegado no ponto dessas alterações se transformarem em uma doença crônica, como diabetes, então eu ainda podia mudar a minha saúde.

    • doenças crônica: As doenças crônicas são caracterizadas basicamente por serem doenças que possuem um lento desenvolvimento e uma longa duração, muitas delas ainda não possuem uma cura. Elas são categorizadas por dois tipos: doenças crônicas não transmissíveis (DCNT) e as transmissíveis.

    O mais louco, é que quem me olhava por fora, não imaginava o que estava acontecendo por dentro, e nem eu imaginava que estava acontecendo tudo isso, eu achava que a queda do meu cabelo, o desânimo e as dores, sei lá, fossem uma falta de vitamina. Por isso eu digo que, esses meus problemas de saúde eram silenciosos e hoje eu agradeço muito o meu cabelo ter caído tanto, porque só assim eu resolvi buscar ajuda.

    E bom, com o resultado desses exames a médica foi muito sincera comigo, eu precisava mudar meu estilo de vida para poder baixar essas taxas e voltar a ficar saudável, e consequentemente a queda do cabelo iria diminuir, as dores e o meu ânimo iria melhorar.

    Eu não vou citar os remédios que ela me passou, até porque, cada caso é um caso, mas sim, eu comecei um tratamento medicamentoso, eu tomo em média uns 5 comprimidos por dia, todas as manhãs. Comecei a praticar exercício físico regularmente 5 vezes na semana, estou fazendo acompanhamento nutricional, que na verdade é uma reeducação alimentar, estou tentando aprender mais sobre alimentação e melhorando a minha relação com a comida.

    Eu tenho a plena consciência que sozinha eu não conseguiria fazer nada, eu não mudaria, eu precisava de bons profissionais que entendessem a minha situação e montasse o melhor tratamento possível, e claro, tudo dependia de mim, pois eles me passaram o tratamento, agora eu tinha que executar.

    Saúde5
    Eu na academia esse ano 🙂

    Falando assim, parece que foi muito rápido e fácil uma mudança, mas na verdade não foi. No começo foi muito difícil, eu tive alguns efeitos colaterais dos remédios, era difícil seguir uma alimentação diferente da que eu tinha, ter a disciplina de fazer exercício físico regularmente, porque sim gente, eu tenho preguiça também, às vezes não quero ir à academia.

     Mas sempre que a preguiça bate eu penso: “é pela minha saúde, é pelo meu bem, porque se eu tiver saúde eu vou conseguir fazer muitas coisas, eu vou conseguir fazer o meu trabalho, eu vou conseguir correr atrás dos meus sonhos, então preciso de saúde para fazer isso.” 

    Porque se tem uma coisa que é a mais pura verdade, é que, a nossa saúde é o nosso maior bem, com ela a gente consegue fazer tudo, se você tem saúde você consegue trabalhar, consegue encontrar seus amigos, consegue viver, agora se você não tem saúde ou se sua saúde está debilitada, tudo fica mais difícil, então eu sempre pensava nisso, sabe? Eu quero ter saúde para fazer as coisas que tanto gosto e ainda quero fazer.

    Saúde6

    Hoje enquanto eu escrevo esse texto, já se passaram 75 dias, quase 3 meses, desde o início do meu tratamento, nesse período eu mudei muita coisa. Eu acho impressionante que quando a gente encontra um tratamento para aquilo que está causando danos à nossa saúde, as coisas começam a fluir, porque nos primeiros 15 dias, seguindo certinho o tratamento, a alimentação e fazendo exercício físico, a queda do meu cabelo diminuiu absurdamente. O meu desânimo sumiu e aquela vontade louca de querer comer doce, porque eu comia doce todos os dias, essa vontade aos poucos foi desaparecendo.

    Então além de todos esses médicos que vem acompanhando o meu tratamento, eu também comecei um “tratamento” interno (terapia), comecei a avaliar tudo em mim, avaliar com calma para saber o que realmente me faz bem e o que não faz diferença nenhuma. Nisso eu descobri que eu descontava minhas emoções na comida, depois que eu entendi isso, foi muito mais difícil lidar com toda essa situação. kkkkk

    O autoconhecimento é doloroso para cacete, se auto conhecer não é uma tarefa fácil, dói, é um processo longo, e quando você reconhece seus atos, erros, defeitos, qualidades, quando você olha para você e percebe que tem coisas que precisam melhorar, é mais dolorido ainda, porque você precisa ter coragem para mudar.

    Saúde2

    Nesse período de 75 dias eu consegui diminuir o meu peso, pois estava com sobrepeso, meu cabelo parou de cair, consegui baixar algumas taxas dos meus exames, ainda tem algumas coisas que precisam ser controladas, mas muito mais do que isso, eu “aprendi” a ter equilíbrio. (Entre aspas, pois isso é um aprendizado diário).

    Novamente, escrevendo aqui e você lendo, parece que foi muito fácil, parece que está sendo fácil, porque sim, eu ainda estou em tratamento.

    Eu não vou mentir aqui, tem dias que realmente bate uma preguiça, um desânimo surreal, que tudo que eu quero é ficar de boa, sabe? E aí quando esse sentimento está muito alto, eu não vou na academia, foram poucas vezes que isso aconteceu, em 75 dias eu acredito que eu faltei quatro vezes na academia. Aos finais de semana eu me permito apreciar as doçuras da vida, então, eu tomo meu açaí, como uma pizza e assim eu tenho ido, uma busca diária por equilíbrio na vida!

    Uma das minhas médicas, que está fazendo acompanhamento comigo, ela diz uma coisa que é muito legal: “a nossa vida não é uma curva, não é uma linha reta… ela é um batimento cardíaco, tem horas que vai estar regulado, tudo certinho na mesma frequência, tem horas que vai ter um pico onde vai subir a energia, você vai conseguir seguir tudo certinho, vai estar empolgada, mas também vai ter momentos que o batimento vai para baixo e você vai ter um desânimo, não vai conseguir seguir com a rotina e tá tudo bem! A vida é isso.”

    Viver é a maior prova de resistência que a gente tem, não é fácil, nunca será, mas tem tantos momentos legais e bons que vale a pena tentar, por isso eu falo, ter saúde é fundamental. E isso é algo que ninguém pode fazer por você. Claro, cada caso é um caso, cada um tem uma realidade, tem uma genética, mas a gente tem que tentar buscar sempre o melhor para nossa saúde, tem tentar fazer pelo menos o mínimo.

    saude

    Quando eu digo saúde, eu não falo somente da saúde física, eu falo da saúde mental também, que muitas vezes a gente deixa de lado, mas é uma das principais e que faz total diferença. Nossa, como faz!

    Eu resolvi ter essa conversa com você, porque talvez você esteja se esquecendo disso, que a saúde é tudo que você tem, e que depende exclusivamente de você. Eu demorei um pouco para perceber isso, tanto é que meus exames falaram por mim, mas agora que eu entendi eu vou tentando equilibrar, vou tentando seguir certinho, para nunca mais eu ter o susto e a decepção que eu senti comigo, quando eu peguei o resultado dos meus exames.

    Essa conversa não é para te desanimar, não é para você se comparar comigo, eu estou contando o que aconteceu na minha vida, o que fez eu virar essa chave e tentar me cuidar mais e não negligenciar a minha saúde. 

    Eu espero que eu tenha feito você olhar um pouquinho mais para você. E olha, não tem nada de errado você olhar para você, cuidar de você e tentar o melhor por você, porque quando a gente faz isso, vai ser um pouquinho mais fácil de passar as próximas fases.

    Se olhe com amor, se olhe com carinho, busque melhorar aquilo que te incomoda por você e pela sua saúde, não pelos outros, porque quando a gente tenta mudar pelos outros, as coisas não mudam, ficam empacadas, sabe? Então faça isso por você, para você, e tenha paciência, nada acontece do dia para noite.

    Isso não quer dizer que quando a sua saúde estiver ok, ou quando você conseguir se olhar com carinho, as coisas vão ser mais fáceis e tranquilas, isso não vai acontecer. Mas, você vai ter uma consciência maior de como passar por cada obstáculo que a vida vai colocando na sua frente.

    Eu sigo aqui tentando me cuidar, um processo diário, uma conversa diária comigo, sigo fazendo o meu tratamento para melhorar a minha saúde. Ah, e não quero ser exemplo pra ninguém, até porque, pra entender tudo isso, pra me colocar como prioridade, eu tive que chegar no meu limite e agora estou tentando concertar, então não me leve como exemplo, só leia minha história e reflita, decida o que é melhor para você e o que você consegue fazer.

    Eu espero que essa conversa tenha feito pelo menos uma pessoa refletir sobre si mesmo. Obrigada por ler até aqui, obrigada por me escutar e a gente se vê no próximo post. Um beijo com carinho Naiady Souza. 

    Continuar lendo →

  • naiady-souza-11
    Em Além da Maquilagem

    SEJA BEM VINDA AO MEU VELHO NOVO BLOG NAIADY SOUZA

    Caso não queira ler é só da o play no áudio abaixo. 🙂

    Então, as coisas estão diferentes por aqui, não é mesmo? Na verdade eu tenho pensado muito, em o que fazer com a criação de conteúdo que a seis anos eu faço por aqui. 

    Eu comecei o blog maquilagem em 2013, naquela época muitas amigas pediam dicas de maquiagem, dicas de produtos, e essa foi a forma mais legal que eu poderia passar essas dicas, sem ficar repetitivo, sabe? 

    Naquele ano eu já trabalhava como maquiadora e também trabalhava como vendedora, eu ia conciliando os dois empregos, a maquiagem fazia parte de todos os meus finais de semana. Eu vivenciava diariamente a maquiagem, porque quando eu não estava atendendo ou ministrando curso, eu estava criando conteúdo para o Maquilagem. Foram seis anos pensando em ideias sobre maquiagem, seis anos falando exclusivamente sobre make, compartilhando dicas, tutoriais, resenhas, truques e tudo o que envolve o universo da beleza.

    naiady-souza-4

    E aí chegou 2020, e com ele chegou a pandemia. Eu acredito que quase todo prestador de serviço, principalmente da área da beleza, teve que se reinventar. E nesse momento o meu trabalho como maquiadora ficou em segundo plano, porque não tinha evento! Ministrar curso era algo perigoso para mim e para os alunos. E assim eu foquei na minha área de formação, que para quem não sabe, eu sou formada em marketing. Eu voltei a atuar nessa área, comecei a trabalhar como social media – explicando de forma bem rápida e resumida, é gerenciar redes sociais de empresas e de outras pessoas. 

    Criar conteúdo de maquiagem, para mim, pelo menos nesse momento foi ficando extremamente difícil, porque eu não me maquiava, eu fazia minha #maketerapia para trabalhar em casa e compartilhava com vocês lá no Instagram o passo-a-passo, e era isso.

    naiady-souza-6

    Eu não tinha ideia para criar conteúdo, não tinha inspiração para falar sobre maquiagem, para contar sobre os produtos, na real não fazia muito sentido para mim, sendo que eu não estava vivenciando diariamente isso.

    E cada dia que passava, mais dificuldade eu tinha em criar algo voltado para maquiagem. Eu tirei ideias, não sei da onde, mas eu tentei de verdade, manter os conteúdos exclusivamente sobre beleza, porque eu amo isso, eu amo falar de maquiagem, eu amo falar sobre beleza. E claro, eu ainda continuo sendo maquiadora, a maquiagem continua sendo meu trabalho, são nove anos com a maquiagem me proporcionando coisas incríveis. Por isso, eu me forçava a criar conteúdo de maquiagem todos os dias. E sendo muito sincera com vocês, eu realmente achei que a pandemia seria resolvida até o final de 2020, eu tinha esperança sabe? Só que graças ao nosso desgoverno, não foi!

    O tempo foi passando e essa dificuldade em falar exclusivamente sobre maquiagem foi ficando cada vez mais intensa, como eu comentei, foi ficando de segundo plano. O meu dia a dia era focado nas minhas tarefas aqui em casa, na minha convivência com meu marido e com a minha família, em cuidar da minha cachorrinha e em trabalhar com marketing, a maquiagem foi ficando ali de ladinho, por mais que eu estivesse me maquiando, por mais que eu estivesse comprando produtos de maquiagem, a vivência na profissão estava diminuindo cada vez mais. Eu me sentia sendo enganada por mim mesma.

    naiady-souza-1

    Chegou 2021, as coisas melhoraram um pouco, eu comecei o ano já ministrando alguns cursos, aconteceu alguns atendimentos, o que me deixou muito feliz. Estava tudo fluindo, na medida do possível e eu estava muito contente, porque eu estava voltando a trabalhar como maquiadora, e nossa isso estava me deixando extremamente feliz.

    Só que as coisas pioraram, e um novo loockdown foi decretado aqui em Maringá. Todos os eventos foram cancelados. Teve um final de semana, em março de 2021, que eu estava com a minha agenda lotada, eu ia maquiar em dois casamentos pequenos, pois até então, aqui na cidade tinha sido liberado eventos até 20 pessoas, eu iria maquiar duas noivas, as mães das noivas e as madrinhas. Eu estava muito contente com a minha agenda “lotada”, só que as coisas pioraram muito aqui em Maringá, os hospitais fecharam, pois não tinha leito, em um mês, eu perdi quatro amigos para o Covid, e eu vi a minha agenda indo de lotado para vazia. Claro, eu entendo que o momento pedia isso, um lockdown, mas era difícil aceitar que tudo estava se repetindo novamente.

    O tempo foi passando e cada vez mais falar somente sobre maquiagem não estava fazendo muito sentido para mim, não que eu não estivesse gostando, porque eu continuei me maquiando, eu continuei testando produtos, eu continuei falando de maquiagem, mas foi ficando difícil para mim criar conteúdo exclusivamente sobre isso, ainda mais criar conteúdo sobre make para diferentes redes sociais, porque eu não sei se vocês sabem, mas eu falo de maquiagem em um blog, no YouTube, no Instagram, em qualquer rede social que eu estou eu falo sobre maquiagem. 

    Sim, eu ainda faço alguns atendimentos, mas sendo muito sincera com vocês, têm um medo que fica aqui dentro da gente, o medo de se contaminar, o medo de contaminar a minha cliente, o medo de passar esse vírus para outras pessoas, então os poucos atendimentos que eu estou fazendo, eu tento dar um espaço de 15 dias, porque assim eu tenho a plena certeza de que eu não vou contaminar ninguém.

    naiady-souza-7

    E bom, desde o começo da pandemia, eu comecei a compartilhar coisas além da maquiagem, comecei a mostrar um pouquinho do meu dia a dia, pouca coisa, mas mostrava, comecei a compartilhar dicas sobre outros assuntos que não eram relacionados a maquiagem, e vocês foram gostando de ver essas dicas. Assim que eu voltei para Maringá, isso se tornou ainda mais frequente, porque a gente começou a ter uma troca muito bacana no Instagram. 

    E eu comecei a refletir muito, muito mesmo, eu fiquei pensando mais de um mês como eu poderia abordar esse outros assuntos, porque eu ainda me sentia muito presa a falar exclusivamente de maquiagem. Então, eu fui conversar com vários amigos, outros criadores de conteúdo, outros influenciadores, pessoas da minha vida offline.

    Nessas conversas eu fui sendo aconselhada, inclusive por vocês que me seguem lá no Instagram, a trocar o meu arroba de @blogmaquilagem para @naiadyds. Eu fiquei com muito medo de fazer isso, medo de perder tudo que eu tinha conquistado até então, porque vocês me conheceram pela maquiagem.

    naiady-souza-10

    E para minha surpresa, isso foi muito bom! A interação aumentou, eu consegui falar sobre outros assuntos de forma descontraída, a troca de dicas aumentou muito, eu continuei falando de maquiagem, dando dicas de make, e foi, e está sendo muito legal. Eu fiquei muito feliz com o que estava rolando ali e com a recepção de vocês com outros temas.

    Depois que eu comecei a compartilhar outras coisas, além da maquiagem, o Instagram foi crescendo, o engajamento foi melhorando cada dia mais. Porém, nas outras redes sociais, como por exemplo, o YouTube e o blog, a interação foi diminuindo muito, nessas duas redes sociais eu falava exclusivamente de maquiagem.

    E assim gente, quando uma pessoa cria conteúdo, ela quer um retorno, quer que as outras pessoas vejam, engajem, comentam e discutem sobre aquele assunto, porque senão é falar para o vento, e criar conteúdo para o vento não é legal! E era justamente isso que estava acontecendo no YouTube e aqui no blog. Eu estava fazendo conteúdos sobre maquiagem nessas plataformas, mas não tinha retorno, não gerava interesse por parte de vocês que me acompanham, isso foi me desanimando muito, muito mesmo, e foi aí que eu resolvi me afastar do YouTube e do blog.

    naiady-souza-9

    Foi mais de um mês sem criar conteúdo para essas duas plataformas, e assim gente, eu  escrevo isso com lágrimas nos olhos, porque tudo começou no blog, tudo começou aqui nesta página que você está lendo, e eu sempre fui muito responsável com a minha criação de conteúdo. Eu sempre tentei fazer o melhor para o YouTube e para o Blog, sempre tentei criar conteúdo que eu tivesse orgulho de ler, orgulho de mostrar para outras pessoas, e deixar de fazer isso é como se eu estivesse tirando um pedacinho de mim.

    E assim começou outra reflexão: “será que eu apago tudo e esqueço que existiu o blog Maquilagem? Será que eu fico apenas com meu trabalho na área de marketing e esqueço a vida online? Será que eu mudo tudo e faço o que estou fazendo lá no Insta? ”. 

    Foi aí, que um belo dia durante esse período de pausa, mexendo nas minhas coisas, nas minhas agendas antigas que eu tenho guardadas aqui, eu lembrei  do meu primeiro blog. Porque sim meu povo, eu tive um blog antes desse daqui, ele se chamava “Diário da Nai”, por lá eu compartilhava reflexões, falava de maquiagem também, eu escrevia sobre muitas coisas. O “Diário da Nai” não durou muito, porque eu estava no final do ensino médio, estudando muito para o vestibular, então não dei sequência com aquele blog. 

    Nessa agenda que eu encontrei, tinha o primeiro texto que compartilhei no “diário da Nai”, era um texto falando sobre a pressão de ser vestibulando, porque era exatamente o que eu estava vivendo. O texto estava super mal escrito (hahahaha), mas reler aquele rascunho foi muito engraçado, parecia que eu tinha voltado para aquela fase da vida. Me recordei como era gostoso falar sobre várias coisas, compartilhar coisas diferentes.

    Nesse meu antigo blog tinha receitas, moda, dicas de maquiagem, na época eu ainda não era maquiadora, mas eu já amava maquiagem.  Recordar esse blog me deixou com um sorriso no rosto! Ah, só para deixar claro esse blog não existe mais, o que eu achei foi o rascunho das coisas que eu escrevi por lá, sim eu gostava de escrever primeiro no papel, depois passava para o computador. Se eu não me engano, em 2011 eu exclui esse blog, porque tinha umas coisas lá que davam vergonha também. kkkkk

    naiady-souza-3

    Depois de ver tudo isso, eu conversei com muitas pessoas ao meu redor, falei sobre esse antigo blog e foi meio que unânime, mas teve uma fala de um amigo querido, que me marcou e resume tudo o que me disseram nas conversas, foi: “Nai você é uma pessoa múltipla, você tem tanta coisa para falar, tanta coisa para ensinar e quando você faz isso, você fica feliz, então acho que você deveria voltar a compartilhar tudo isso, a parte da maquiagem é muito legal, mas sei que tem muito mais coisa pra ser compartilhada por aí!”

    Ouvir isso me impactou muito e me deixou muito confusa, de verdade, eu entrei em uma crise existencial (kkkkk). Pensei, refleti muito, porque mudanças são difíceis e normalmente mudanças acabam causando estranheza e até repelindo algumas pessoas. Mas, depois de pensar muito… eu resolvi pagar pra ver!

    naiady-souza-2

    Por isso hoje, esse blog deixa de ser o blog maquilagem, para ser o blog Naiady de Souza. Isso não que dizer eu deixei de falar de maquiagem, muito pelo contrário, porque a maquiagem continua sendo um dos meus trabalhos, mas isso me dá liberdade de trazer outros assuntos por aqui, me dá liberdade de compartilhar muitas coisas e faz com que eu não fique presa somente e exclusivamente a maquiagem.

    E digo mais, eu estou indo contra todas as dicas dos profissionais de marketing digital, que aconselham a gente a falar exclusivamente sobre um assunto, mas eu sinto que fazendo isso eu vou ficar muito mais feliz e eu acredito que quando a gente está feliz carregamos uma energia muito boa que se espalha para outras pessoas. Eu sei que isso pode fazer com que eu perca muitos seguidores, eu posso estar dando “um tiro no pé”, mas eu quero tentar, pois do jeito que estava, logo, logo eu iria abandonar tudo. 

    Depois de escrever tudo isso para vocês, eu vou explicar um pouquinho do que vai acontecer por aqui.

    Por aqui  eu ainda vou falar muito sobre maquiagem , vou falar de produtos de beleza, vou continuar trazendo tutoriais de maquiagem, mas eu também quero trazer outras coisas, como por exemplo, dicas para casa, porque eu tenho vivenciado isso, eu tenho passado muito tempo na minha casa, então eu tenho feito muitas coisas aqui dentro que valem a pena ser compartilhadas, quero trazer entrevistas com outros profissionais, quero falar de moda, de cabelo, sobre comida, sobre viagem e mudando para Naiady Souza eu me sinto livre para fazer isso.

    logo-naiady-souza

    Espero muito que vocês continuem aqui comigo, espero muito que vocês entendam essa mudança e eu espero que vocês abracem essas mudanças. E se você não gostou da mudança, só peço que torça por mim, mesmo que de longe e quem sabe um dia a gente volte a trocar figurinhas. 

    E olha turma, vai ter bastante textão viu? Eu sei que na atualidade, a leitura é algo que pouquíssimas pessoas gostam de fazer, ainda mais na internet, mas eu adoro escrever, eu adoro conversar. Tem uma frase que eu levo sempre comigo, que é: “Palavras são na minha nada humilde opinião, nossa inesgotável fonte de magia capazes de causar grandes sofrimentos e também de remediá-los” (Dumbledore – Filme Harry Potter e as relíquias da morte (sim, sou muito fã de H.P.)).

    É isso, obrigada por ler até aqui, obrigada por conversar comigo e sinta-se à vontade para deixar um comentário, mas por favor seja bem educada, tá? Aqui é um ambiente bacana para a gente ter trocas legais, qualquer sinal de ódio peço gentilmente que se retire, rs!

     Obrigada, com carinho Naiady de Souza.

    Obs.: Logo o endereço ficará somente naiadysouza.com 😀

    Continuar lendo →

  • blog-maquilagem-naiady-souza
    Em Além da Maquilagem

    O QUE ROLOU E EU NÃO TE CONTEI

    Mudanças dão medo, dão aquele frio na barriga, mas por outro lado são boas para adquirirmos novas experiências e oportunidades. No bate papo de hoje eu te conto o que rolou nos últimos tempos por trás das câmeras, os perrengues e as coisas boas também. Uma conversa de amigas para dar inicio ao canal do blog Maquilagem neste 2021.

    É SÓ DAR O PLAY

    Continuar lendo →

  • coisas-negativas-blog-maquilagem
    Em Além da Maquilagem

    Por que é tão difícil lidarmos com coisas negativas?

    Você já parou pra pensar que não é porque algo dá errado que necessariamente vai continuar sendo assim?

    Eu sou a Gabi, nova colunista aqui do blog, e eu quero conversar um pouco com você sobre esse ano novo e como a gente precisa olhar pra ele e tirar o melhor do que ele pode nos oferecer. Então foca na minha pergunta aí de cima e vamos papear!

    Com certeza o ano de 2018 foi péssimo para muitas pessoas (bom para outras, mas não é o foco aqui), inclusive para mim. Eu comecei meu ano sendo traída e isso deixa a gente lá embaixo, perdemos a confiança, o amor próprio e muitas vezes a vontade de tentar de novo, principalmente numa situação dessas onde o ano novo, a virada, foi o momento da traição. Tive vários perrengues durante os meses e eu me pergunto se isso também aconteceu com você. Quantas vezes você chorou esse ano e perguntou o motivo da sua vida estar um caos? Ou talvez das coisas não estarem dando certo (pelo menos não como você queria ou planejou)? Quantas vezes você se pegou sendo negativa com a vida? Olhou para o futuro e perder a esperança de coisas melhores acontecerem? Eu entendo e não julgo, na verdade eu até te dou razão em alguns momentos.

    Nosso psicológico tende a ser fraco em momentos de tristeza ou fraqueza e é normal que percamos a fé e a esperança naquele momento. Mas não podemos viver assim, ou com certeza nem vivermos mais iremos. É muito difícil assimilarmos que erros precisam acontecer, coisas ruins precisam acontecer, porque essa é a lei e o ciclo normal da vida. Perder pessoas, perder o emprego, quebrar o tornozelo, sofrer um acidente… são coisas tristes, mas inevitáveis e necessárias.

    Nesse momento você deve estar me chamando de louca, eu também me chamaria. Mas o ponto que eu quero chegar aqui é que precisamos entender que nada é bom o tempo inteiro e nunca vai ser assim. Se não lidarmos com a perda, ficaremos acostumados a ter tudo e todos ao nosso lado e isso seria pior. Se não aprendermos a ficar sem emprego e buscar outro, a passar por obstáculos, nunca venceremos na vida, também ficaremos acostumados a ter o emprego e o salário dos sonhos e não lutar pelo que almejamos e queremos. Se não nos machucarmos nunca saberemos como nos curar, como tratar uma ferida ou como ajudar outra pessoa que também se machucou e assim por diante. Tudo, absolutamente tudo que acontece com a gente é para um bem maior e é nisso que eu foco todos os dias que levanto.

    Claro que haverá dias que você vai querer chutar o balde, só dormir e esquecer do mundo lá fora. Poxa, somos humanos, frágeis e fracos, precisamos disso sim, precisamos ligar o foda-se muitas vezes, mas também precisamos lutar, conquistar, acreditar e ter fé.

    É muito difícil conviver com dificuldades, lidar com frustrações, mas se uma coisa eu aprendi com isso é que por conta dessas barreiras eu me tornei uma pessoa muito forte. Ainda tenho muito a aprender, assim como você, mas o primeiro passo eu dei. Que tal você dar o seu também? Se algo deu errado hoje, não significa que amanhã também vai dar, então insista! Faça! Continue. Se o resultado positivo demora pra chegar, não pare. Não ache que resultados acontecem do dia para a noite. Eles demandam nosso tempo e mais que isso, nosso esforço e dedicação.

    Dedique-se e seja sempre o melhor que puder ser. Não precisa ser feliz e positiva o tempo todo, mas acredite que você pode conquistar seus objetivos e vencer, porque você e só você pode fazer isso. Confie em você!

    Texto por
    Gabriela Cadamuro
    @gcadamuro

    Continuar lendo →